O Clubhouse ameaça o podcast?

Saiba porque a nova rede social representa uma soma de forças pra quem usa áudio digital

Compartilhe

Sempre que algo novo surge no mundo da comunicação logo se especula sobre o impacto da novidade em meios já existentes. A televisão ia acabar com o rádio, o cinema ia acabar com a tv… lembra?

Agora a pergunta é:o Clubhouse é uma ameaça ao podcast? Pra mim, a resposta é não. Mas é fato que essa nova rede social está criando um espaço totalmente novo em áudio digital e pode atender demandas diferentes do podcast.

Em primeiro lugar, se você é uma marca (ou criador) é fundamental saber claramente qual é o objetivo da sua comunicação em áudio. Com a meta bem definida, fica mais fácil usar a melhor estratégia, seja criando um podcast, entrando no Clubhouse ou fazendo uma campanha no rádio.

O Clubhouse está sendo enquadrado como “áudio social”, o que, pela forma ao vivo e instantânea, não é possível para podcasts. Os podcasts são conteúdos sonoros consumidos sob demanda, da mesma forma que Netflix, Amazon Prime ou Globoplay e permitem que você ouça os programas que quiser, quando puder. O podcast normalmente tem roteiro, é gravado e editado. As melhores produções também ganham um sound designer envolvente.

Por enquanto, esse não é o objetivo do Clubhouse, que foca na conversa ao vivo, sem edições.
Então, se você deseja desenvolver um tópico e interagir com o público-alvo em tempo real, a nova rede social pode ser uma boa opção.

Eu acho, no entanto, que uma grande limitação é o acesso.Será que vale investir numa rede social limitada ao Iphone? Principalmente no Brasil, onde quase todo mundo usa um modelo Android, o Clubhouse, no momento,é muito restrito.

Mas voltando ao tema principal. O Clubhouse não vai destruir o podcast. Aliás, uma estratégia mais ampla pode muito bem contemplar as duas coisas; podcast e a rede social de áudio. Podem ser complementares.O Clubhouse é uma evolução, uma nova forma de explorar as maravilhas do áudio digital. E essa é uma ótima notícia.

Bitnami